.ode à futilidade

Há dias assim, em que nos permitimos ser fúteis e simplesmente não queremos saber. Porque todos temos o direito, de vez em quando, de desligar e deixar as coisas importantes de lado, as causas, os problemas, os dilemas existenciais. Há dias assim, em que melodias pop ajudam a pintar a realidade de um rosa imaginário, disfarce discreto e temporário de um negrume permanente.

Lily Allen The Fear {myspace | site oficial}

One thought on “.ode à futilidade

  1. Num rodopio constante de bailes de máscaras, constantemente tentando chegar ao inalcançável. Mote deturpado, usurpado, irreal. Mote vazio, porque é tudo e tudo é o nada!

    Cafés, cigarros e, porventura, algum álcool! Veremos

    Abraço
    Mary

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s