.fragmentos

Sem razão aparente fiquei cheio de arrepios ao ouvir a tua música. Estar feliz faz mal ao cérebro, acorda, imagina que estou ao teu lado a dar-te mimos. Tira a roupa, lentamente, quero olhar para a tua alma despida. Estou a adormecer, preciso de ti ao meu lado como razão para não fechar os olhos. Leva-me daqui, quero sentir os teus lábios a apertarem os meus. Não penses que não tens importância para mim, sorri. Cheguei tarde demais para te encontrar, ainda estás a sonhar comigo, ainda consegues dizer que te faço feliz? Vem ter comigo, mais vinte minutos, espera, por favor, estás aborrecido comigo, hoje estás distante e triste, não fiques assim, não sei que fazer.

Sentes-te sozinho, é normal, mas que posso eu fazer, nem sempre podemos ter tudo o que queremos. É melhor assim, um dia vais entender. Acordaste com o som da chuva a bater na janela, triste por não estar ao teu lado? Vou tentar chegar a tempo, não te preocupes, eu sei que prometi. Trata de mim. Fomos interrompidos pelos distúrbios de uma louca, não tenhas receio, eu protejo-te. São barulhentos, os outros, imagino que estou contigo na solidão de um destino perdido no vazio. Queria tanto poder encostar os meus lábios no teu pescoço descoberto. O discurso era coerente? Não faças dramas sem necessidade, será que tem mesmo importância? Estou a conversar, que mais queres que te diga, agora não é oportuno, vem com calma, chove com força, era bom estares aqui.

Não quero mais, chega, acorda. Às vezes portas-te mal e tens de ser castigado. Sinto-me miserável. Como calculas ontem adormeci, daí o meu silêncio. Estou saturado de lidar com gente doida, dorme bem e obrigado, por tudo o que me deste e continuas a dar. Há frieza e distância nas minhas palavras, subtilmente estou-me a despedir de ti. Que estás a fazer? Apetece-me beber champanhe.

Nem me quiseste fazer companhia, já estou na cama, de cabeça quente, aconteça o que acontecer não quero que te iludas. Estou exausto, terás que puxar por mim, as portas estão abertas. Não digas que enrolei ou compliquei as coisas, apenas não te quero magoar. Está tudo bem desse lado? Um milhão de desculpas por te ter feito esperar. Um dia destes encontro-te, ou tu a mim, quem sabe, diz-me qualquer coisa poderei não te reconhecer. Tinha mesmo que ser, há coisas que não controlo.

Adoro o contacto da pele com a roupa da cama; no ar pairam sons e cheiros resultantes da entrega incondicional de dois corpos, há qualquer coisa de fascinante no teu olhar. O que é belo por natureza não precisa de tratamentos articiais e exerce de forma inata um poder sobre o mundo que o rodeia; acima de tudo, prefiro a vontade que não se esgota e nos faz querer mais. Foste embora sem te despedires, estava de olhos fechados à tua espera, estou demasiado cansado para pensar. Amanhã leva uma reality check para fazermos um plano.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s