{papel}

Deitei fora aquele papel. Rasgado, amarrotado e queimado de outras noites. Outros humores. Marquei a data no meu coração: esta noite enterrei-te e carpi-te pela última vez, tu, que sempre encontraste maneira de voltar para o meu coração.

Lembrei-me das manhãs, já cansado de projectos e coisas imaginadas, mas não eram as manhãs as predilectas. Antes, eram as noites, aquelas sob o signo da Lua, em que mais a tua lembrança ficara marcara. Pois a partir de hoje já não. As exéquias terminaram.

Amanhã não vou acordar. Antes prefiro viver no sonho de uma vida em que não conheci aquele papel, e nem o corpo que nele escrevera aquela mensagem, e assinara a sentença da minha vida. Em pausa.

via Letters in Store

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s