. ||

Em compasso de espera enquanto se arrumam as tralhas.
Ainda não sei que nome têm as novas paredes que me albergam.
No cubo de gelo repousam agora as fibras das memórias, à espera que se projectem nas paredes cinzentas as sombras de novas histórias.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s