.mudámos ou o last post por estas bandas

Mudámos de nome e formato, a identidade do autor ainda é difusa e as ideias meio dispersas, a misturada aumentou na mesma proporção da simplicidade. Estamos no Tumblr em http://filipebernardes.tumblr.com/, para quem tem conta basta seguir, para quem não tem há um botão no topo preparado para que não nos abandonem tão cedo.

Anúncios

.on being ill

untitled

 
“Considerando como a doença é comum, como é tremenda a mudança espiritual que traz, como é espantoso quando as luzes da saúde se apagam, as regiões por descobrir que se revelam, que extensões desoladas e desertos da alma uma ligeira gripe nos faz ver, que precipícios e relvados pontilhados de flores brilhantes uma pequena subida de temperatura expõe, que antigos e rijos carvalhos são desenraizados em nós pela acção da doença, como nos afundamos no poço da morte e sentimos as águas da aniquilação fecharem-se acima da cabeça e acordamos julgando estar na presença de anjos e harpas quando tiramos um dente, vimos à superfície na cadeira do dentista e confundimos o seu «bocheche…bocheche» com saudação da divindade debruçada no chão do céu para nos dar as boas-vindas — quando pensamos nisto, como tantas vezes somos forçados a pensar, torna-se realmente estranho que a doença não tenha arranjado um lugar, juntamente com o amor, as batalhas e o ciúme, por entre os principais temas da literatura.”

{Vírginia Wolf, On Being Ill, in Francine Prose, Ler Como Um Escritor, Casa das Letras, 2007, p. 52}

.ondas

evil machine

Há algum tempo atrás ouvi alguém dizer que o problema de todos os escritores é pensarem demais, vivem várias vidas em simultâneo, nunca sabendo, na realidade, qual é a sua. Talvez seja essa a resposta, ou uma resposta, às minhas constantes divagações.

“Every writer writes rubbish, because writing requires it. It’s part of the process of great writing.”
(via How to write with Confidence)