.(apenas) divagações

Assusta-me pensar que estou a perder tempo, dia após dia, em correrias desenfreadas e sem sentido. Recordo-me quando a vida era mais simples e as certezas mais fortes. Gostava de saber onde errei. O silêncio ajuda-me a ver com clareza o passado e imaginar como será o futuro, não voltarei para trás mas, quem sabe, um dia sentirei o rumo como certo.

.ondas

evil machine

Há algum tempo atrás ouvi alguém dizer que o problema de todos os escritores é pensarem demais, vivem várias vidas em simultâneo, nunca sabendo, na realidade, qual é a sua. Talvez seja essa a resposta, ou uma resposta, às minhas constantes divagações.

“Every writer writes rubbish, because writing requires it. It’s part of the process of great writing.”
(via How to write with Confidence)